sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Há mar e mar, há ir e não voltar

Está lançada a edição de 2008 da campanha "Salva um Cagarro, Faz um Amigo", onde se apela à população para lançar no mar as jovens crias que encontrem perdidas em terra no seu primeiro voo. Este ano, a campanha viu o seu âmbito alargado, para que Carlos César possa também lançar no mar os membros do governo que não venham a fazer parte do novo executivo. Dizem os defensores desta nova medida que ela ajudará a preservar o ambiente das ilhas.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Senhora Salvadora do Mundo

Após 430 anos de espera, Berta Cabral finalmente anunciou a sua candidatura à liderança do PSD-A. Ou seja, parece que afinal D. Sebastião é mulher e usa um mau panteado.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Dores insondáveis

O Sr. Silva, citando o Grande Animador do Carnaval do Funchal, lá voltou a vetar a revisão do estatuto. Mas, desta vez, ele nem esteve desacompanhado e apareceram por aí mais duas eminências (eminência maior e eminência menor) a fazer coro com o boliqueimense mais conhecido do país.

Hesitei no comentário a tecer à performance de todos estes protagonistas, pelo que decidi que a coisa só ia lá com mais uma citação que sintetizasse o meu pensamento sobre a matéria. E não podia ter encontrado nada melhor do que a passagem que abaixo transcrevo de
um artigo de opinião do Magnífico da UAç publicado no passado fim-de-semana:

Diz-se que esta fixação é uma questão de dor! De dor de cotovelo! Segundo os entendidos, mais fina e insuportável do que a mais abjecta de todas as dores, que por decoro me escuso de mencionar!

domingo, 26 de outubro de 2008

Só com marcação sff

Apeteceu-me hoje voltar-me a debruçar sobre a compilação açoriana de gralhas e erros ortográficos, também conhecida por Correio dos Açores. E não o podia ter feito em melhor hora, pois logo na primeira página deparo-me com este belo pedaço de prosa:
Insegurança. É esta a palavra que melhor pode definir o que a maior parte da população da freguesia dos Arrifes sente, quer quando circula, a pé, pelas estreitas e desadaptadas ruas da freguesia, quer nas suas moradias, constantemente assaltas, sem que os larápios tenham dia ou hora marcada para se apropriar do alheio. (CA)

De facto, julgo que é uma falha deontológica gravíssima os amigos do alheio não avisaram o dono da casa, com antecedência, de que no dia x à hora y a vão assaltar. Já agora, podiam avisar também a polícia que assim os deteria em flagrante delito, facilitando todo o processo de prova do crime.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Um pouco de esforço e seremos os melhores da Europa

O AO de ontem noticia que o número de homicídios já ultrapassou este ano, nos Açores, o valor total do ano anterior. Parece-me um sinal positivo, que certamente ajudará a combater aquela conversa sinistra em que se está sempre a dizer que a região está na cauda do país e da Europa.

domingo, 19 de outubro de 2008

Reforma parlamentar

Costa Neves acaba de dizer que, aos 54 anos, é tempo de fazer outras coisas. Afirma que há vida para além do PSD e que quer acompanhar o crescimento do filho mais novo. Para reforçar a ideia, confirmou que vai ocupar o seu lugar de deputado na assembleia regional.

Romantismo

O primeiro engenheiro do país, também conhecido por José Sócrates, acaba de dizer que Carlos César conquistou não só o voto, mas também o coração dos açorianos. Deve ter sido por isso que o PS trouxe cá Tony Carreira para encerrar a campanha.

Chamar a música

Paulo Estevão acaba de ser eleito deputado pelo Corvo. Com alguma sorte, recebeu lições de fado de Gonçalo da Câmara Pereira, candidato do seu partido por S. Miguel, e sempre teremos música no parlamento regional.

Tapa buracos

A RTP-A encomendou à RTP de Lisboa a dupla de marretas Prof. Marcelo e António Vitorino. Não há dúvidas de que se trata dos melhores artistas de entre todos aqueles que falam, falam e não dizem nada, tornando-os, assim, ideais para encher a emissão entre a projecção e os resultados finais.

sábado, 18 de outubro de 2008

Reflexões

Neste dia de reflexão, pôs-me a reflectir sobre o material de campanha do PDA. (Acho que o dia não era para reflectir exactamente sobre isto, mas que se lixe!) Em grande destaque, no autocoloante que me veio parar às mãos, temos o líder do partido armado em domador de aves. Assim de repente, fez-me lembrar aquele funcionário do Benfica que supervisiona o voo da águia antes dos jogos do dito clube. Ora, será que, se José Ventura for eleito deputado, vamos passar a ter uma milhafre a voar na assembleia regional antes de cada reunião do plenário?

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Cantares chineses

Estes últimos dias de campanha eleitoral foram interessantíssimos. Carlos César encontrou-se com empresários e, no fim, botou faladura, tendo por detrás de si uns caracteres orientais.


Será que era uma mensagem subliminar para os empresários, aconselhando-os a vender o resto das empresas regionais aos chineses?

Mas Costa Neves não deixou Carlos César brilhar sozinho, tendo atingido mesmo aquele que certamente foi o zénite da sua carreira política, ao pôr-se a cantar à janela para meninas em idade pouco casadoira.



Para ver esta estrondosa performance do líder laranja, basta avançar para o minuto 8:04 deste vídeo.

Imagens: RTP-A.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Sondagem

Ligaram-me de uma empresa de sondagens a perguntar se eu conhecia o cabeça de lista do CDS por S. Miguel. Quando respondi correctamente Pedro Medina, pensei que fosse ganhar algum prémio (um kit CDS ou algo do género). Mas nada. Os tipos do CDS são uns forretas e, em vez de me darem um prémio, fizeram ainda mais uma pergunta: "E onde ouviu falar do nome deste candidato?" Assim sendo, resolvi dar largas à minha imaginação na resposta: "Apesar de Paulo Portas andar por aí a criticar a entrada de imigrantes no país, vi Pedro Medina ao balcão do SEF a distribuir material de campanha, enquanto perguntava pelo estado em que se encontrava o seu próprio processo de naturalização."

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Veja, oiça, mas não o faça

Passou-me novamente pelas mãos um número da Fastflyer e constatei que Ricardo Gomes, esse mago da publicidade (ou será concorrente do Professor Bambo?), voltou a expor ao mundo as verdades que ele próprio leu num qualquer universo paralelo.


Ora vejamos, estamos perante um homem que diz que há quem "Veja, mas não vê!" No entanto, não nos apressemos a julgá-lo, pois este oxímoro é só a ponta do iceberg. É que ele também é pessoa para afirmar que há quem consiga "ver, mas não ouvir" algo na rádio ou ainda "ouvir" uma folha de papel. Alguém tem os contactos de um psicólogo à mão?

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Macho man

Carlos César tem um discurso mal-educado e com laivos machistas, afirmou Berta Cabral, enquanto se lamentava por o presidente do PS/A não ter feito aquele discurso a beber cerveja, a trincar tremoço e a escarrar... sobre Sócrates.

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Partido da Terra ultrapassa Partido Comunista

Hoje passou-se-me que estamos em plena época de caça ao voto, pelo que me esqueci de tirar o som da RTP-A durante o jantar. Como consequência, levei com este belo pedaço de prosa do candidato do Partido da Terra sobre os "prisioneiros" das cadeias: "os criminosos (...) têm obrigação de trabalhar para se sustentarem dentro do estabelecimento." E o que aconteceria a quem se recusasse a trabalhar? Será que seria enviado para a futura Sibéria açoriana? O candidato do Partido da Terra devia de ter mais cuidado, porque, depois de ter sido processado pela SATA por difamação, ainda arrisca um processo do Partido Comunista por plágio.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Virando um feitiço

Há um sem número de coisas, nesta vida, que devem ser feitas num local apropriado, sob pena das consequências poderem ser, de algum modo, perniciosas. Um exemplo disso mesmo é uma chamada para o número de atendimento a clientes da PT. Hoje, em resultado de um terrível lapso da minha parte, não fiz a chamada a partir de um telefone sem fios. Para agravar ainda mais a minha delicada situação, o fio não me deixava chegar até à casa de banho. E, para tornar a coisa ainda mais grave do que a Crise dos Mísseis de Cuba, a menina da PT dava-me intermináveis minutos de música após eu responder a cada pergunta que ela fazia. Como um homem não é de ferro, quando a música acabou, foi a minha vez de de lhe dizer: "Queira aguardar um momento, porque preciso de ir à casa de banho." E, para concluir epicamente este meu pedido, usei hoje, pela primeira vez, o botão daquele telefone que permite... dar música.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Casual Friday

Uma pessoa anda a burocratizar para ganhar a vida e abre um email enviado a partir do servidor de uma conhecida multinacional. A última coisa que espera é que na assinatura da mensagem, depois de uns quantos avisos sobre o sigilo profissional que cobre aquele email, apareça uma imagem como esta: