domingo, 27 de abril de 2008

Necessidades fisiológicas portáteis

Abundaram, este ano, pelas festas de uma determinada santidade, que hoje tiveram o seu ponto mais alto, uns cartões brancos com algumas colorações. As pessoas usavam esses cartões para se sentarem, ficando numa pose muito semelhante a quem está instalado numa sanita. Será que essas pessoas se estavam a defecar para a festa, com o alto patrocínio da Câmara Municipal de Ponta Delgada e demais anunciantes?

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Mail da década

Para quem se dedica a estas questões internéticas há mais de 10 anos, receber mails absolutamente estapafúrdicos não é propriamente novidade. Agora, há sempre quem consiga ir um pouco mais além:
Epá, diz-me aí que horas são

domingo, 20 de abril de 2008

A entrevista

Houve alguém que apenas existe em potência, mas que me desafiou a formular umas quantas perguntas para colocar ao primeiro-ministro, durante a sua deslocação do dia de hoje aqui à ilha de S. Miguel. Depois de muito pouco matutar, julgo que encontrei um conjunto suficientemente abrangente de questões. Atente-se:

Sr. Primeiro-ministro, é conhecida a atenção que dá ao seu guarda-roupa. Qual é a sua marca de fatos preferida?

E, já agora, a cor, qual é a que gosta mais?

É verdade que só usa gravatas Hugo Boss?

Quanto às meias, prefere com 79 ou 93% de algodão?

E os seus cintos, quantos furos é que têm?

Ouvi dizer que é grande fã de relógios Alain Silberstein, é verdade?

Entrando agora noutra área. Prefere equipamento Adidas ou Nike quando faz jogging?

E as sapatilhas, confirma que têm de ter lá gravado o logótipo da Hello Kitty?

Para finalizar, porque não costuma usar boné durante o jogging?

Enfim, podia ter feito perguntas sobre outros assuntos, mas não me quis armar em esperto, por isso limitei-me a questões sobre as áreas de que o primeiro-ministro percebe.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Poluições

Um italiano residente nos Açores decidiu processar não sei bem quem, por causa da poluição causada pela bosta de vaca na via pública. É uma atitude interessante, mas não vejo a mesma preocupação do dito cidadão em relação a outras ocorrências de natureza similar. Então, onde está uma providência cautelar para impedir que, este fim de semana, no Teatro Micaelense, decorra uma actividade que é também uma enorme fonte de poluição, um congresso partidário?

quinta-feira, 17 de abril de 2008

The wrong saint

Estava para aqui a ver o Jornal da Tarde (RTP1), quando ouço isto:
Vamos ver se a meteorologia ajuda. A imagem de Nossa Senhora de Fátima está sempre presente aqui no court principal do Jamor e bem que hoje podia fazer uma pequeno fazer ao director do torneio (video)

Eu não sou especialista em meteorologia religiosa, mas não é S. Pedro que superintende esses fenómenos?

domingo, 13 de abril de 2008

A prova

Há muita gente que duvida da vontade manifestada pelo Grande Animador do Carnaval do Funchal em não se recandidatar a novo mandato na presidência da República das Bananas. No entanto, julgo que tais receios são totalmente infundados. Ora atente-se nas palavras do timoneiro madeirense no final do congresso do PSD local no passado fim-de-semana:



Está mais do que visto que Jardim já arranjou algo muito mais divertido para fazer depois da reforma: escrever argumentos para filmes porno. E já não era sem tempo que alguém trouxesse uma lufada de ar fresco a esta indústria e colocasse "espíritos a auto-masturbarem-se".

sexta-feira, 11 de abril de 2008

Inveja

Há quem, nos últimos dias, tenha tentado abusar do meu estatuto de meteorologista amador, para tentar saber qual melhor forma de combater o frio primaveril que ataca sobretudo à noite. A todas estas pessoas, apenas tenho a dizer que vós* sóis uma cambada de invejosos que queria ter sido convidada para acompanhar Carlos César na sua visita a Cabo Verde, onde dizem que o calor é a especialidade da casa.

*É óbvio que também estou incluído neste grupo, pois gosto de me referir a mim mesmo na segunda pessoa.

terça-feira, 8 de abril de 2008

Sensações

Lúcio Salsa, ex-jogador de futebol que militou em alguns emblemas açorianos, foi detido por suspeita de assalto a bancos. Quando lhe perguntaram o motivo por detrás de tais assaltos, terá dito que queria unicamente sorver a mesma sensação que um árbitro experiencia dentro do campo.

domingo, 6 de abril de 2008

Sai mais uma conferência de imprensa para equilibrar

Está a causar grande indignação, nos meandros da oposição açoriana, o estudo da ERC que concluiu que o tempo de antena do governo regional e do PS na RTP-A é substancialmente superior ao das demais forças políticas. Com a sua reconhecida capacidade para a auto-análise e auto-crítica, a oposição já fez mea culpa e disse que o problema está no governo.

Aparentemente, tal conclusão tem tudo para ser estapafúrdica, mas só alguém de vistas curtas não alcançará a grandeza dos argumentos aduzidos. Ora, atentemos no programa de apoio às férias dos idosos. Apesar da provecta idade de muitos “laranjas”, “azuis-e-amarelos” e “vermelhos”, em geral, não é que o governo lhes castrou o acesso ao tal programa ao colocar a idade mínima nos 60 anos? Impede-se, assim, os velhinhos e as velhinhas da oposição de ir arejar as ideias para outro lado e enviar os vídeos pessoais da experiência para divulgação na RTP-A. Desta forma, o Telejornal fica limitado aos vídeos de publicidade mal encapotada ao governo, onde até, por 25 "ouros", se "doutoriza" Ti Carlins (fast forward para o minuto 22:50):



terça-feira, 1 de abril de 2008

Bem prega Frei Tomás

A coisa já data do Domingo de Páscoa, mas por recear assassinar o meu solitário neurónio, não passo os olhos pelo Correio dos Açores todos os dias. Hoje, como era dia das petas, achei a altura ideal para executar tal tarefa em alguns números mais antigos da compilação açoriana de gralhas e erros de Português.

Logo pelas páginas iniciais, fiquei para Deus me levar (ou terá sido menente?) com o que o(a) perfeitamente identificado(a) comentador(a) de variedades Maria Corisca escreve:
quando quiserem mandar alguma denúncia para publicar nos meus recadinhos têm de assinar como fazem todos os outros (…) porque isto de dizer que têm medo… é preciso acabar. (CA, 23.03.08)

Também há por aí umas outras coisas que, se acabassem, não se perdia nada… ou perdia-se umas boas gargalhadas!