terça-feira, 2 de outubro de 2007

Memory eraser

Há cerca de um ano atrás, o grande timoneiro da República das Bananas, também conhecido por João Jardim, proferiu mais uma das muitas máximas que lhe passam pela cabeça entre dois copos de uma qualquer zurrapa: “Carlos César? Não conheço esse gajo de lado nenhum!” César respondeu, classificando a grande atracção do Carnaval do Funchal de “grosseiro, cacofónico, tarouco, incorrecto” (JD), ou seja, César teceu os mais rasgados elogios a Jardim.

Passado um ano, César vai ter um jantar romântico com o próprio Jardim no bunker do líder anti-cubano do Funchal (GaCS). Onde é que estes dois terão comprado um dispositivo de apagamento da memória? Será que se vende ao quilo na Loja da Cultura recentemente aberta em Ponta Delgada?

1 comentário:

Maninha disse...

Dá muito jeito ter a memória curta...