quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Pensamento para a noite de Halloween

Não me posso esquecer dos elásticos, para segurar a minha máscara de todos os dias.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Fidelidade canina

Anda por aí uma grande discussão de mesa do café sobre a decisão da RTP-A de não cobrir um determinado evento de medição de fidelidade canina. Posto perante esta celeuma, resolvi fazer uma sondagem.

Acha que aquela jantarada de louvor ao chefe da tribo tinha importância suficiente para ser coberta pela RTP-A?

Eis os resultados:

2% Sim
3% Não
95% Onde arranjo convite para esses jantares?

Ficha técnica:

Data da inquirição: 28 de Outubro da uma à uma da manhã (a hora mudou entretanto).

Amostra: 1 meteorologista amador, 1 bêbado, 1 alcoolizado, 1 intoxicado, 1 prostituta, 1 meretriz e 1 mulher da vida (desculpem os pleonasmos, pois meteorologista amador já reunia em si todos os outros atributos mencionados).

domingo, 28 de outubro de 2007

Um problema de Coreias

Depois de o lixo a ter subido à cabeça, Berta Cabral decidiu participar num evento na Coreia do Sul que deve ser como aqueles congressos que os laboratórios pagam aos médicos, só que num local menos paradisíaco (os autarcas lá chegarão ao nível dos médicos). No entanto, e olhando para a linha de investimento altamente subsidiado pelo Estado que a dama de aço inox de Ponta Delgada resolveu seguir, creio que a sua presença ficaria muito mais bem enquadrada num congresso do poder local da Coreia do… Norte.

sexta-feira, 26 de outubro de 2007

Para além da igualdade

O Correio dos Açores de hoje faz manchete com o assalto que uma viatura da própria polícia foi alvo. Não só foi um gesto assaz igualitário por parte do meliante, como ainda, a avaliar pelo valor das multas que a polícia anda por aí a passar, o ladrão vai obter uns cem anos de perdão.

quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Concorrência

Fez escala nos últimos dias por Santa Maria um imã radical que aproveitou para deixar a sua marca vocal pela ilha de Gonçalo Velho. Tendo em conta as aptidões vocálicas demonstradas e o teor dos discursos que estas personalidades normalmente proferem, julgo que se perdeu uma oportunidade histórica para os Açores. Se o imã tivesse ficado por estas bandas, nós agora podíamos ultrapassar a Madeira naquilo que interessa, pois um discurso desses espécimes coloca a um canto a última verborreia insultuosa do Grande Animador do Carnaval do Funchal.

sábado, 20 de outubro de 2007

Gatos à solta no laranjal

A procura de culpabilização de terceiros leva-nos a pensar que a Azores Parque vendeu “gato por lebre” aos empresários. (Xerife Rui Melo, AO, 20/10/07)

quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Sinta o poder da estrela

Houve quem me avisasse sobre os perigos de se lidar com um objecto tão inflamável, só que os meus delírios são mais fortes e impelem-me para o abismo (sempre que fazemos uma aproximação a um político também nos abeiramos do abismo). Seja lá qual for a forma da estrela, desta vez sempre me posso refugiar no submarino.

Tão rasteiras considerações só me poderiam levar às grandiloquentes palavras recentemente proferidas pelo Deputy Sheriff do Bristol County e que foram registadas por uns quantos analfabetos:
In the name of the law, perdão, na qualidade de presidente da associação de municípios, eu garanto que esta lixeira a que poeticamente chamamos de aterro vai ser brevemente selada. Palavra de xerife!

domingo, 14 de outubro de 2007

Fim do mundo

Num artigo de Samtos Narciso, o Correio dos Açores de hoje não só volta a revelar as suas difíceis relações com a revisão dos textos, como ainda nos dá a conhecer a opinião de Rui Moreira, presidente da Associação Industrial do Porto, sobre estas ilhas pelo Atlântico estendidas: “Os Açores já não são o fim do mundo”.

Ao globo ocular descalço, que é como quem diz, à vista desarmada, parece uma observação que transpira isenção, pois vem de alguém que, por ser de fora, observa a coisa de uma forma desapaixonada. Todavia, num segundo olhar, esta consideração tem pouco de imparcial, visto que o ser vivo que preside à dita associação é igualmente comentador num programa desportivo que responde pelo nome de Trio de Ataque e passa na RTPN. Ora, atentando-se na análise dos lances dos jogos que estes especímenes humanos comentem, rapidamente percebemos que a sua isenção consegue o notável feito de ser inferior à de um certo poeta, logo se um deles diz que os Açores não são penálti, perdão, não são o fim do mundo, o mais certo é a região ser, de facto, o fim do mundo mais escandaloso que um árbitro não marcou.

sábado, 13 de outubro de 2007

To the left. to the left

Ouço no Telejornal da RTP-A alguém que até conheço discorrer sobre a necessidade de se estender aos idosos de todas as posses a possibilidade de acederem a residências assistidas. A esta, eu acrescentaria uma outra necessidade premente que passa pelo acesso de todos os jovens dessas idades a equipamentos de GPS, não para localizarem o lar mais próximo, mas para localizarem o acelerador do carro.

PS – Este pedaço de esterco levou com este título depois de me passar pelo aterro sanitário uma delirante associação entre o nome do tema “Irreplaceable” da Beyonce e aquela lendária expressão “os cemitérios estão cheios de insubstituíveis”. Enfim, coisas próprias da terceira idade.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Isso fica em cascos de rolha

Mestre José Scut Contente demonstrou recentemente que nem só o asfalto betuminoso lhe enche a alma, pois anunciou algo que certamente permitirá vislumbrar umas poucas almas em repouso, umas quantas a arder e até mesmo o senhor que dizem ter barbas brancas a recrear-se com uma Barbie. Contente publicitou, então, a instalação em S. Miguel de uma empresa do sector aeroespacial.

É sem claridade de dúvidas uma entidade absolutamente indispensável para os governantes da constelação açoriana, dado que vão passar a poder afirmar que um desenvolvimento ao nível das famosas médias europeias já se vê nos Açores… através de telescópio.

quinta-feira, 4 de outubro de 2007

What happens in Funchal stays in Funchal

Jardim: “Isso é uma conversa de costureirinha da Sé, saber que tu dissestes isto mas agora já não dizes isso (…) É uma união de facto, foi um namoro de 11 anos. Leva-se 11 anos a namorar, a mandar pérolas um ao outro e, agora, passou-se não propriamente ao casamento mas a uma espécie de união de facto política.”

César: “O senhor presidente [da Madeira] tem uma noiva antiga (…) O pior é que tenho de dar explicações quando chegar a casa.” (RTP)

PS – Fico extremamente grato ao grande timoneiro do insulto da política portuguesa, por me ter ajudado a descobrir a minha vocação: costureirinha da Sé!


PS2 – As montagens não costumam ser nada de especial, mas esta está ainda pior. É o que acontece quando se fica limitado a esse potentado da edição gráfica, um tal de MS Paint.

terça-feira, 2 de outubro de 2007

Memory eraser

Há cerca de um ano atrás, o grande timoneiro da República das Bananas, também conhecido por João Jardim, proferiu mais uma das muitas máximas que lhe passam pela cabeça entre dois copos de uma qualquer zurrapa: “Carlos César? Não conheço esse gajo de lado nenhum!” César respondeu, classificando a grande atracção do Carnaval do Funchal de “grosseiro, cacofónico, tarouco, incorrecto” (JD), ou seja, César teceu os mais rasgados elogios a Jardim.

Passado um ano, César vai ter um jantar romântico com o próprio Jardim no bunker do líder anti-cubano do Funchal (GaCS). Onde é que estes dois terão comprado um dispositivo de apagamento da memória? Será que se vende ao quilo na Loja da Cultura recentemente aberta em Ponta Delgada?